Nova Anã Marrom é descoberta

Imagem
Nova anã marrom é encontrada pela NASA através de um projeto de astronomia amadora.
A Nasa mantém vários projetos e um deles é formalmente conhecido como WISEA J110125.95 + 540.052,8. O nome é estranho, parece mais uma senha boa para redes sociais, mas trata-se de um projeto onde voluntários ajudam na descoberta de novos corpos celestes.
Rosa Castro terapeuta durante o dia e astrônoma amador, se juntou ao projeto de ciência cidadã Backyard Worlds: Planet 9, financiado pela NASA (esse do nome estranho). Em sua casa, de noite, terminou seu jantar, abriu seu laptop, e descobriu um novo objeto que não era nem planeta nem estrela.  Ela iria se tornar um dos quatro voluntários para ajudar a identificar primeira anã marrom do projeto mantido pela Nasa.
Tem cerca de duas décadas desde que os pesquisadores descobriram as primeiras anãs marrons, e que a comunidade científica abriu os olhos para esta nova classe de objetos entre estrelas e planetas.
Embora sejam tão comum como estrelas e forma …

[Para discutir] Mercosul

Gleisi critica governo por não reconhecer Venezuela na presidência do Mercosul

Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), divulgou uma nota de repúdio à decisão do governo brasileiro de não reconhecer a Venezuela como presidente do Mercosul. A presidência do Mercosul, com duração de seis meses, é exercida em rodízio entre os países do bloco. A presidência deveria ter passado do Uruguai para a Venezuela na semana passada, o que não ocorreu por oposição de Brasil, Argentina e Paraguai. 
A nota da CAE diz que os acordos que deram origem ao Mercosul estabelecem de forma clara o rodízio dos países na presidência. “Tal regra, acordada livremente entre os membros do bloco e aprovada pelo Congresso Nacional do Brasil, é autoaplicável e automática, prescindindo, portanto, de qualquer decisão ou covalidação adicional.” Segundo a nota, a relação com a Venezuela favorece o Brasil no comércio, no fornecimento de energia elétrica para a Região Norte e no desenvolvimento da fronteira amazônica. 

“Em relação aos conflitos internos da Venezuela, que são sérios, não nos parece que possam servir de motivo para essa decisão antidemocrática”, afirma a senadora na nota.


Jornal do Senado, Brasília, segunda-feira, 8 de agosto de 2016.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corrente exagera ao comparar remunerações de professores e políticos

Nota da CNTE contra a BNCC

O desenvolvimento do Sahel