Nova Anã Marrom é descoberta

Imagem
Nova anã marrom é encontrada pela NASA através de um projeto de astronomia amadora.
A Nasa mantém vários projetos e um deles é formalmente conhecido como WISEA J110125.95 + 540.052,8. O nome é estranho, parece mais uma senha boa para redes sociais, mas trata-se de um projeto onde voluntários ajudam na descoberta de novos corpos celestes.
Rosa Castro terapeuta durante o dia e astrônoma amador, se juntou ao projeto de ciência cidadã Backyard Worlds: Planet 9, financiado pela NASA (esse do nome estranho). Em sua casa, de noite, terminou seu jantar, abriu seu laptop, e descobriu um novo objeto que não era nem planeta nem estrela.  Ela iria se tornar um dos quatro voluntários para ajudar a identificar primeira anã marrom do projeto mantido pela Nasa.
Tem cerca de duas décadas desde que os pesquisadores descobriram as primeiras anãs marrons, e que a comunidade científica abriu os olhos para esta nova classe de objetos entre estrelas e planetas.
Embora sejam tão comum como estrelas e forma …

Escolas terão prioridade de acesso à banda larga


O novo presidente da CCT - Comissão de Ciência Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática - senador Otto Alencar, disse que garantir que todas as escolas e universidades públicas tenham acesso à internet banda larga é uma das prioridades da  CCT.

O Brasil, na grande maratona da acessibilidade da informação digital, figura distante da maioria dos países. Só para se ter uma ideia em termos de velocidade da internet o país ainda se encontra em 88º lugar no ranking mundial.

Além de uma velocidade baixa para os padrões da média mundial o país encontra-se na 85ª posição em termos de usuários de banda larga, com 39% de seus usuários com internet banda larga. Essa dado demonstra o quanto o país ainda precisa investir para verdadeiramente democratizar o acesso à internet rápida.

Além de uma velocidade (irritantemente) baixa, a internet brasileira ainda é muito cara. O alto valor se torna ainda mais evidente quando se avalia a (péssima) qualidade do serviço e a renda média do brasileiro.

Levar internet de banda larga para as escolas não pode ser um engodo, apenas para virar propaganda de governo. Habilitar um sinal de 10 megabits para uma escola onde se supõe que o sinal será compartilhado por muitas pessoas ao mesmo tempo não é viável para os propósitos de uma banda larga de internet. Sabemos, todavia, que em muitas escolas já "agraciadas" com a banda larga, essa não ultrapassa 2 megabits e todos sabem que a velocidade contratada raramente é a mesma que as operadoras entregam.

Somos reféns de uma legislação muito benevolente com o grande capital e com as operadoras de internet no Brasil.

E você caro leito, você possui internet de banda larga em sua escola? Conte-nos como é sua relação com esse serviço, utilize os comentários do blog.😎

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corrente exagera ao comparar remunerações de professores e políticos

Nota da CNTE contra a BNCC

O desenvolvimento do Sahel