Protesto de professores termina com vários detidos

Protesto de professores em Buenos Aires termina com vários detidos
A polícia da Argentina encerrou ontem (9) uma manifestação de professores em frente ao Congresso Nacional, em Buenos Aires. A ação terminou com vários detidos e gerou fortes críticas pela suposta violência aplicada.

Pouco depois do meio-dia, professores tentaram instalar uma tenda branca na praça onde está localizado o Parlamento argentino, com o objetivo de convocar uma mesa de negociação salarial nacional.

Segundo informações do Ministério do Ambiente e Espaço Público, o grupo quis instalar a tenda "sem nenhum tipo de permissão", causando "atos de infração pelo mau uso do espaço público". Em um comunicado divulgado pela agência de notícias estatal Télam, os policiais "sugeriram a retirada" da estrutura.

Vídeos publicados em redes sociais e em emissoras de TV locais mostram o confronto entre os agentes e manifestantes, que acusam os policiais de terem lançado gás de pimenta no início do desalojamento. As informações são da agência EFE.

Professores são detidos

O defensor público da Grande Buenos Aires, Alejandro Amor, disse que dois professores foram detidos e "feridos pelas ações repressivas das forças de segurança", mas que já foram libertados. Além disso, diversos grupos de esquerda e sindicatos criticaram a ação da polícia.

"Um país onde o governo e a polícia agridem os professores é um país sem futuro. Não podem lançar gás de pimenta e reprimir desta maneira. Não é assim que se constrói a pátria", afirmou, em frente ao Congresso, o secretário do Sindicato Unificado dos Trabalhadores da Educação da Província de Buenos Aires, Roberto Baradel.

Fonte: EBC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pesquisa mostra queda no interesse por cursos de licenciatura

Violência nas escolas não é caso de polícia, afirmam especialistas