Dia Internacional Nelson Mandela

Bill Clinton fala à ONU News Português sobre amizade com Nelson Mandela. Foto: Eleutério Guevane.

Em 18 de julho de 2013, as Nações Unidas organizaram uma cerimônia em Nova Iorque para marcar o Dia Internacional Nelson Mandela.

Participantes de alto nível incluindo o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, discursaram sobre sua amizade com o ex-líder da África do Sul, que viria a falecer naquele mesmo ano em 5 de dezembro em sua terra natal.

Após a cerimônia, os repórteres Eleutério Guevane e Monica Grayley da ONU News (naquela época ainda chamada de Rádio ONU) realizaram uma breve entrevista com o ex-presidente Clinton.

Leia um breve trecho dessa entrevista:

ONU News: Senhor Presidente, somos a Rádio ONU. Qual foi a lição mais importante que Nelson Mandela lhe ensinou?

Bill Clinton: Para mim, pessoalmente, foi a de que você não pode servir a outros enquanto você não se libera internamente de todos os seus ressentimentos e todos os seus sentimentos negativos. Você tem que estar aberto às possibilidades que cada novo dia lhe traz e fazer o máximo disso.

E a segunda coisa que, penso que ensinamos um ao outro durante a última década, é que nós continuamos (com a política). Mesmo não estando em cargos públicos, nós não deixamos de ajudar e fazer alguma coisa boa.

Dez anos atrás, fará 10 anos amanhã, eu realizei a palestra de inauguração da Fundação dele sobre tudo isso. E nós nós divertimos da mesma maneira, nos últimos 10 anos, que quando estávamos no poder. Isso foi bom. Ele me ensinou muito.

Mas a primeira coisa foi: nunca entregue sua mente ou seu coração a ninguém. Não deixe que as ações ou as palavras de ninguém mudem a forma como você sente sobre suas obrigações de viver de uma determinada maneira. Suas obrigações de alcançar outras pessoas. E ele conseguiu fazer isso contra situações extraordinárias e melhor do que qualquer pessoa que eu conheço. É um presente duradouro para a humanidade.

Nunca havia existido nada semelhante antes.

Ghandi também fez o mesmo como um líder mundial, e ele sofreu antes de se tornar presidente, e então ele foi morto, naturalmente, pelo que fez como líder da Índia.

Mas apenas Mandela teve essa espécie de alma purificada durante 27 anos. Pouquíssimas pessoas poderiam fazer isso. E ele conseguiu.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.
Fonte: UNO News (editado) - originalmente publicado aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

70 milhões de anos em 2 minutos: a formação do Himalaia

Pesquisa mostra queda no interesse por cursos de licenciatura