E agora, José? Como são escolhidos os nomes dos furacões?


NOOA/Reprodução

Irma nem terminou sua passagem pelo Atlântico Norte e José já está na lista dos furacões que irão atingir países do hemisfério norte, principalmente os países caribenhos e os Estados Unidos.

Furacão é tempestade gigante com muita chuva e ventos fortes, que podem ultrapassar 250 km/h. Formado por várias nuvens, seu centro (chamado de olho do furacão) é quente, com temperatura média de 28ºC. Nasce em mares de água aquecida e vento calmo. Ganha nome de Tufão quando ocorre no Oceano Pacífico, perto da China e Japão. 

COMO SÃO ESCOLHIDOS OS NOMES DOS FURACÕES?

Usar nomes humanos - em vez de números ou termos técnicos - nas tempestades tem o objetivo de evitar confusão e fazer com que seja mais fácil lembrar delas ao divulgar alertas.

Mas ao contrário do que muitos pensam, a lista atual dos nomes não tem nada a ver com políticos, não se trata de homenagens a pessoas que morreram no desastre do navio Titanic e também não é composta somente de nomes femininos.

A lista de nomes para os ciclones tropicais do Atlântico foi criada em 1953 pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês) e seu padrão foi usado para as listas de outras regiões do mundo.

Atualmente, estas listas são mantidas e atualizadas pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), agência da ONU baseada em Genebra, na Suíça.

Ordem

As listas dos furacões de cada ano são organizadas em ordem alfabética, alternando nomes masculinos e femininos. E os nomes de tempestades são diferentes para cada região.

A atual temporada de furacões e tempestades no Atlântico, que começou em junho de 2017, já passou por por Arlene, Bret, Cindy, Don, Emily, Franklin, Gert e Harvey até chegar a Irma, Jose e Katia - duas tempestades que se tornaram furacões e chegam à região logo em seguida.

Se você estivesse na região do leste do Pacífico, no entanto, estaria mais familiarizado com os nomes Adrian, Beatriz, Calvin, Dora, Eugene, Fernanda, Greg, Hilary, Irwin, Jova e Kenneth.

As listas são recicladas a cada seis anos, o que significa que, em 2023, Harvey ou Irma podem aparecer novamente.

Ventos com força de furacão começam a atingir a Flórida

A parte externa do furacão de categoria 3 Irma castiga, no fim da tarde deste sábado (9), o arquipélago de Florida Keys, no extremo Sul da Flórida, com ventos máximos de 79 quilômetros por hora (km/h), apontou o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos.

Segundo a Agência EFE, as praias de Florida Keys, que serão as primeiras a receber Irma nas primeiras horas deste domingo (10), já registram fortes ondas.

Os fortes ventos também já começaram a ser sentidos no sul da península da Flórida com sequências de vento de 90 km/h no recife de Molasses, ao sudeste de Key Largo, indicou o NHC em um boletim especial.


Na comunidade de Marathon, já apareceram árvores quebradas, segundo imagens de veículos de imprensa locais.

Irma, que apresenta ventos máximos de 205 km/h, move-se em direção ao noroeste com uma velocidade de translação de 15 Km/h.

O furacão deve seguir rumo ao norte e tocar terra na costa oeste da Flórida.

Até as 12h deste sábado, 6,3 milhões de pessoas tinham recebido ordem de deixar suas casas, número equivalente a 30% da população do estado, enquanto as autoridades habilitavam novos abrigos. 

Com informações da BBC-Brasil e da  EBC.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

70 milhões de anos em 2 minutos: a formação do Himalaia

ACORDO DO CLIMA: OS DESAFIOS PARA O BRASIL

DAVID HARVEY: 9 LIVROS PARA DOWNLOAD