50º aniversário da morte de Che Guevara


Foto: Reprodução Agência Cubana de Notícias
Dezenas de jovens, combatentes e colonos do Granma escalaram hoje o antigo campo de Ernesto Che Guevara nesta intrincada comunidade, localizada na Sierra Maestra, para lembrar a Guerrilha Heroica.

Em homenagem ao 50º aniversário da morte do Comandante Guevara, realizado sob as frondosas árvores do Museu de Otilia, Aldo Daniel Naranjo, presidente da União dos Historiadores de Cuba na província, enfatizou que mesmo as crianças, Eles falam sobre Che como algo grande pertencente a todos.

Ele acrescentou que a atual província de Granma era a terra do crescimento do herói cubano, e o palco em que ele alcançou o conhecimento mais profundo da história, dos costumes e do caráter de um povo para o qual ele colocava sua vida com tanta frequência em perigo.

Naranjo disse que mais de 30 sites patrimoniais neste território oriental estão relacionados às ações revolucionárias do Che, incluindo cinco museus dedicados à sua figura, incluindo o Comando de La Mesa.

Sua figura de herói popular, a firmeza de suas idéias socialistas, o alto conceito de internacionalismo, solidariedade e o mais absoluto desprendimento de suas ações magnetizaram a admiração e o carinho dos habitantes de Granma, disse o historiador.

O Quinteto Rebelde, grupo musical que acompanhou os guerrilheiros cubanos na luta, hoje cantou novamente para Che, desta vez com a solenidade de quem se lembra de um amigo e a satisfação de ver seus sonhos se materializar nas montanhas da Serra Maestra .

No tributo, vários jovens receberam o cartão que os acredita como membros da União dos Jovens Comunistas e do Partido Comunista de Cuba (PCC), por Federico Hernández, membro do Comitê Central do PCC e primeiro secretário da organização política em a província.

Nesta região, pertencente ao município montanhoso de Buey Arriba, Che fundou o jornal El Cubano Libre e a estação de rádio Rebelde, lutaram contra algumas das suas batalhas mais importantes e atingiram o posto de comandante, categoria máxima do Exército rebelde.

Guevara foi capturado em 8 de outubro de 1967 e morreu no próximo dia em La Higuera, Bolívia, onde liderou uma guerrilha para a libertação.

Após sua morte, o Che tornou-se um símbolo de liberdade e humanismo para as pessoas.

Fonte: Agencia Cubana de Noticias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MEC vai oferecer 80 mil vagas de residência pedagógica em 2018

Como resposta de criança a exercício escolar provocou debate que mobilizou até ‘guardiões da língua espanhola’

Tiros em escola de Goiânia provoca pânico