Nova Anã Marrom é descoberta

Imagem
Nova anã marrom é encontrada pela NASA através de um projeto de astronomia amadora.
A Nasa mantém vários projetos e um deles é formalmente conhecido como WISEA J110125.95 + 540.052,8. O nome é estranho, parece mais uma senha boa para redes sociais, mas trata-se de um projeto onde voluntários ajudam na descoberta de novos corpos celestes.
Rosa Castro terapeuta durante o dia e astrônoma amador, se juntou ao projeto de ciência cidadã Backyard Worlds: Planet 9, financiado pela NASA (esse do nome estranho). Em sua casa, de noite, terminou seu jantar, abriu seu laptop, e descobriu um novo objeto que não era nem planeta nem estrela.  Ela iria se tornar um dos quatro voluntários para ajudar a identificar primeira anã marrom do projeto mantido pela Nasa.
Tem cerca de duas décadas desde que os pesquisadores descobriram as primeiras anãs marrons, e que a comunidade científica abriu os olhos para esta nova classe de objetos entre estrelas e planetas.
Embora sejam tão comum como estrelas e forma …

Parlamento aprova propostas para reduzir tamanho das turmas


Parlamento aprova propostas para reduzir tamanho das turmas, em Portugal
O Parlamento aprovou nesta sexta-feira um conjunto de propostas de vários partidos estipulando um número máximo de alunos por turma na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário.

Com informações do Público.PT


O Partido Verde (PEV), Partido Comunista Português (PCP), Bloco de Esquerda (BE), CDS-PP e PS apresentaram esta sexta-feira (7) no Parlamento projetos relativos à dimensão das turmas no ensino público e todos foram aprovados. Agora, estes projetos vão para Comissão de Educação e Ciência, para que se possa encontrar uma redação que reúna o acordo dos vários partidos.




O PCP, o PEV e o Bloco de Esquerda apresentaram projetos de lei que estabelecem números máximos de alunos por turma, com algumas ligeiras diferenças entre eles. O texto do PEV, por exemplo, prevê um máximo de 18 crianças nas turmas do pré-escolar e, em caso de turmas com crianças com necessidades educativas especiais ou NEE (que não podem ir além das duas), o número de alunos terá de se ficar pelos 14.



Do 1.º ao 4.º ano as turmas não deverão ter mais de 19 alunos (atualmente podem ir até aos 24) e, entre o 5.º e o 9.º ano, não podem ter mais de 20. Atualmente, as turmas dos 5.º ao 12.º anos de escolaridade são constituídas por um número mínimo de 24 alunos e um máximo de 28 alunos. A proposta do PEV é semelhante à do PCP que, no entanto, admite um total de 19 alunos por docente no pré-escolar.

Os números portugueses (alunos/docente por turma) já eram menores que os praticados no Brasil e a preocupação com a qualidade ensino/aprendizagem estimulam a discussão, em Portugal, sobre a necessidade de redução do número de alunos em sala de aula, enquanto que, no Brasil, essa discussão não é pauta (seriamente discutida) das questões educacionais em nossa atualidade.

Ao que se observa, no Brasil, o número de alunos em sala de aula obedece à lógica econômica e não pedagógica, um prejuízo enorme para todos, especialmente, para os discentes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corrente exagera ao comparar remunerações de professores e políticos

Nota da CNTE contra a BNCC

O desenvolvimento do Sahel