Postagens

Inep divulga notas do Enem amanhã

Imagem
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Nesta sexta-feira (18), mais de 4,1 milhões de estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano passado terão acesso às notas das provas. O resultado será divulgado na internet, na Página do Participante, e no aplicativo oficial do Enem. Os participantes terão acesso a quanto obtiveram em cada uma das provas: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e redação. A nota dos treineiros, aqueles que ainda não concluíram o ensino médio e fizeram a prova apenas para testar os conhecimentos, será divulgada apenas em março, 60 dias depois dos demais participantes. A nota do Enem é calculada usando a chamada teoria de resposta ao item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada questão. O valor varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, se a questão tiver grande número de acertos será considerada fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante…

Deputados dizem que teto de gastos inviabiliza Plano Nacional de Educação

Em audiência pública na Comissão de Educação da Câmara, deputados destacaram que o sucateamento das universidades públicas vai contra o que prevê o Plano Nacional da Educação, aprovado em 2014 pelo Congresso. “Com PEC do Teto de Gastos, não tem Plano Nacional de Educação, que foi para a lata do lixo”, disse Glauber Braga (Psol-RJ), um dos parlamentares que pediu a realização do debate. O PNE prevê, por exemplo, que as novas matrículas no ensino superior se deem 40% no segmento público. Em 2014, este índice era de cerca de 5%. O PNE prevê também que o investimento em educação pública seja de 10% do Produto Interno Bruto até 2024. Hoje esse investimento é de 5% do PIB. “A meta 12 do PNE estabelece que até 2024 haja 12 milhões de estudantes matriculados no ensino superior, pelo menos 4 milhões em instituições públicas. Isso requer investimento triplicado em relação ao que temos hoje”, afirmou o deputado Leo de Brito (PT-AC). Segundo ele, 170 milhões de estudantes estão se evadindo da unive…

PNE é prioridade para 2019

Imagem
Prioridade para 2019 é implementar o PNE, afirmam deputados ligados à educação
Na opinião de parlamentares da Comissão de Educação, a falta de recursos está inviabilizando a implementação do Plano
Aprovado pelo Congresso Nacional em 2014 e com vigência de 10 anos, o Plano Nacional de Educação (PNE) é umas prioridades para este ano, na opinião de deputados que atuam na área. Implementado de forma desigual, o PNE já conseguiu, por exemplo, que cerca de 92% das crianças entre quatro e cinco anos tenham acesso à educação infantil. A meta era universalizar esse item até 2016, o que só deve acontecer em 2024.
Outras metas, no entanto, estão bem distantes de serem cumpridas. No item que trata da formação de jovens e adultos integrada à educação profissional, o índice está muito abaixo do previsto até 2024. A meta é oferecer, no mínimo, 25% das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, com cursos profissionalizantes. Em 2015, o percentual era de 3%, mas esse ín…

Projeto quer revogar a reforma do ensino médio aprovada em 2017

Imagem
O Projeto de Lei 10682/18 revoga a chamada Reforma do Ensino Médio (Lei 13.415/17). O autor da proposta, deputado Bacelar (Pode-BA), afirma que a medida, aprovada pelo Congresso em 2017, introduziu diversas alterações na legislação sem haver estrutura ou recursos adequados para o seu propósito.
“Se o ensino no Brasil já é, em muitos aspectos, precário, a Reforma do Ensino Médio o fará perder qualidade de maneira crônica. Com a Reforma, restaram como componentes curriculares obrigatórios, no ensino médio, somente a língua portuguesa, a matemática, a língua inglesa, a educação física e o ensino de artes. O espanhol, obrigatório desde 2006 no ensino médio, tornou-se de oferta optativa. A Sociologia e a Filosofia, obrigatórias no ensino médio desde 2008, também”, criticou o parlamentar.
Em linhas gerais, o novo ensino médio prioriza a flexibilização da grade curricular, a articulação com a educação profissional e a educação integral com apoio financeiro do governo federal. A nova lei divid…

MEU PRIMEIRO DIA COMO PROFESSOR: O QUE FAZER?

Imagem

A IMAGEM DO AUMENTO SALARIAL DOS PROFESSORES

Imagem

Piso salarial para o magistério é reajustado em 4,17%

Imagem
Desde o dia 1º, o piso salarial do magistério está em R$ 2.557,74, o que representa um aumento de 4,17%, segundo o Ministério da Educação MEC). O valor corresponde ao vencimento inicial dos profissionais do magistério público da educação básica, com formação de nível médio, modalidade normal, jornada de 40 horas semanais. De acordo com o MEC, esse formato para correção do piso salarial é utilizado desde o ano de 2010. Fonte: EBC

Acordo para reduzir emissão de gases de aquecimento global

Imagem
Relações Exteriores aprova acordo para reduzir emissão de gases de aquecimento global
A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados aprovou acordo para reduzir emissão de gases que impactam o aquecimento global. A Emenda de Kigali ao Protocolo de Montreal sobre substâncias que destroem a camada de ozônio foi adotada em Kigali (Ruanda) em 2016. O protocolo de Montreal sobre substâncias que destroem a camada de ozônio foi aprovado em 1987 e promulgado pelo Brasil em 1990, e é o único tratado multilateral sobre temas ambientais com ratificação universal. Pelo tratado, os países signatários comprometem-se a substituir as substâncias que demonstrarem ser responsáveis pela destruição do ozônio, como os clorofluorcarbonos (CFCs) e os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs). A Emenda de Kigali, como ficou conhecida, define um cronograma de redução da produção e consumo dos hidrofluorcarbonos (HFCs). Eles não causam danos à camada de ozônio, porém apresentam elevado impact…

Rigor cientifico.

Imagem

A biodiversidade no período de cheias dos rios

Imagem
CMA vota preservação obrigatória da biodiversidade no período de cheias dos rios
A Comissão de Meio Ambiente (CMA) poderá votar nesta terça-feira (18) projeto de lei que obriga os gestores de recursos hídricos a garantir o incentivo a reprodução da biodiversidade no período de cheias no curso das águas dos reservatórios operados por agentes públicos e privados (PLS 344/2014).
O texto altera a Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei 9.433, de 1997) para obrigar o poder outorgante, ou seja, Agência Nacional das Águas (ANA) e entidades estaduais, a prever valores de vazão da descarga de reservatórios que se aproximem das condições naturais das bacias hidrográficas. A intenção é possibilitar a preservação de espécies aquáticas no período de cheias naturais. Nesse período são formadas lagoas adjacentes ao curso hídrico (jusante) dos reservatórios, que funcionam como berçários para a fauna aquática local. Contudo, o barramento e definição de uma vazão fixa de descarga para todos os meses …

MEC lança Base Comum de Formação de Professores da Educação Básica

Imagem
A formação de professores deverá ser mais voltada para a prática e orientada por competências, conforme propostas incluídas na Base Nacional Comum da Formação de Professores da Educação Básica, apresentada quinta-feira (13) pelo Ministério da Educação (MEC). A base deverá orientar a formação de professores em licenciaturas e cursos de pedagogia em todas as faculdades, universidades e instituições públicas e particulares de ensino do país.

O documento inclui ainda propostas para ingresso na carreira docente; o estágio probatório; a formação continuada e a progressão ao longo da carreira. De acordo com a base, desde o primeiro semestre, os futuros professores deverão ter atividades práticas em uma escola pelo menos uma vez por semana. Cada faculdade ou instituição de ensino deverá ser associada a uma ou mais escolas de educação básica. O modelo é inspirado na residência médica e na de outros profissionais da saúde. A residência pedagógica inclui supervisão por um professor do curso supe…

COMUNIDADE ESCOLAR

Imagem

Futuro ministro defende educação básica e qualificação para o trabalho

Imagem
O futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, disse nesta terça-feira (11) que suas prioridades serão a educação básica, qualificação para o trabalho e fortalecimento da identidade nacional a partir de 1º de janeiro, quando o presidente eleito, Jair Bolsonaro, será empossado. “Atuaremos como base em princípios que alicercem o pleno desenvolvimento do cidadão, a qualificação para o trabalho e o fortalecimento da identidade nacional”, afirmou o futuro ministro em sua conta no Twitter. O professor de origem colombiana defende princípios semelhantes ao presidente eleito, como a reformulação do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). Para ambos, o atual modelo de provas aplicadas tem funcionado como um instrumento de “ideologização” incapaz de avaliar a capacidade dos estudantes. Vélez foi confirmado há duas semanas para o comando da Educação. Antes de sua confirmação no cargo, Vélez defendia  em textos divulgados em blog e redes sociais a valorização de um sistema de ensino bási…