O Brasil à venda

Imagem: jornalatribuna.com.br
A Casa Civil do governo de Michel Temer finalizou um projeto de lei, e pretende colocá-lo para votação no plenário da Câmara dos Deputados, que propõe a liberação da compra e o arrendamento de terras por empresas com controle estrangeiro, sem estipular limite de área como sempre defenderam o setor florestal e a bancada ruralista no Congresso.

Atento às implicações negativas desta proposta o Senador Jorge Viana (PT-AC) fez nesta quinta-feira (06/04/2017) um discurso condenando os objetivos do Executivo Federal.

O texto abaixo é um resumo (editado para melhor fluidez do texto) da fala do Senador Jorge Viana proferida no Plenário do Senado.

"Venho à tribuna para trazer uma preocupação, fazer uma denúncia e também falar das providências que estou adotando. Refiro-me à notícia de um projeto que permite, que autoriza a venda de terras do nosso País para estrangeiros, sem limite de área.

Onde vão parar as iniciativas deste Governo que tira direitos de quem trabalha, de quem sonha com a aposentadoria; que danifica a economia; e que põem, de certa maneira o Brasil à venda. 

Essa proposta que autoriza que uma pessoa, um estrangeiro bilionário possa ficar dono de até 25% do território de um Município.

O Município de Altamira tem 159 mil quilômetros quadrados. Ora, 25% desse montante correspondem a 35 mil quilômetros quadrados. A Bélgica tem 30 mil quilômetros quadrados; Israel tem 20 mil quilômetros quadrados.

É um abuso! É um absurdo! E, mais ainda, na proposta do Governo, um estrangeiro pode comprar até 40% do território de uma cidade. Eu não sei onde o nosso país vai parar nessa marcha da insensatez. Sinceramente, eu acho que [isso é uma] afronta – afronta! – [ao] interesse nacional.

Na Etiópia, há dois ou três anos, ocorreu um movimento em que cidadãos da Arábia Saudita queriam comprar uma grande área na Etiópia, país pobre. O povo se levantou e queria derrubar o governo porque não aceitavam que um bilionário do mundo comprasse parte do país, comprasse aquilo que é soberano e que um país tem que é o seu território.

Eu acho que estão brincando com fogo. Nós temos é que ter uma política de desenvolvimento da Amazônia que gere emprego, que melhore a vida do povo que vive na nossa região e que ajude a conservá-la e a preservá-la. Quem vive na Amazônia, que ajudou o Brasil a ter uma agenda verde agora e a cumprir os compromissos assumidos no acordo do clima, merece ser premiado.

Imagine se chegarem agora grupos econômicos, bilionários do mundo inteiro, comprando, a preço barato, o que há de soberano no nosso País que é o nosso território?

Eu sinceramente espero, e faço um apelo aqui, que o Governo não leve adiante esse propósito, porque ele fere o interesse nacional e a dignidade de todos nós brasileiros."

Há vários elementos presente neste texto que pode ser discutido em sala de aula como, por exemplo, o conceito de Território e o conceito de Soberania Nacional.

Sala de Aula

O professor pode solicitar que o aluno pesquise um pouco mais sobre a Etiópia, país africano citado pelo Senador em seu discurso. Podendo também trabalhar aspectos da cartografia ao fazer comparações de áreas de alguns países como Bélgica e Israel comparando essas áreas com a do município brasileiro de Altamira-PA. 

Segundo a Wikipedia "Altamira é um município brasileiro localizado no estado do Pará, na Região Norte do país. Até 2009 foi o maior município do mundo em extensão territorial,[6] com uma área de 159 695,938 km², sendo maior que dez estados brasileiros, além do Distrito Federal e vários países como Portugal, Islândia, Irlanda, Suíça, entre outros." Isso daria uma discussão bastante interessante em sala de aula.

Não deixe de usar os comentários deste post para emitir sua opinião. Vamos socializar? 😉

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dê sua opinião: projeto acaba com a aprovação automática nas escolas

No Brasil, 45% da população ainda não têm acesso a serviço adequado de esgoto

DAVID HARVEY: 9 LIVROS PARA DOWNLOAD