70 milhões de anos em 2 minutos: a formação do Himalaia


Foto: Reprodução Internet

O vídeo acima mostra, através de computação gráfica, um modelo de como teria se formado os Himalaias iniciado ha cerca de 70 milhões de anos.

Numa perspectiva bastante interessante o filme mostra o desenrolar geológico  de 70 milhões de anos em apenas 2 minutos. Um bom pretexto para se discutir tempo geológico.

Os Himalaias são a mais alta cadeia montanhosa do mundo, localizada entre a planície indo-gangética, ao sul, e o planalto tibetano, ao norte. A cordilheira abrange cinco países (Paquistão, Índia, China (que inclui o Tibete), Nepal e Butão) e nela se situa a montanha mais alta do planeta, o Monte Everest. O nome Himalaia vem do sânscrito e significa "morada da neve". Os Himalaias espalham-se, de oeste para leste, do vale do rio Indo ao vale do rio Bramaputra, formando um arco de cerca de 2500 km de extensão e com uma largura variando de 400 km no oeste, na região da Caxemira-Tibete, a 150 km no leste, na região do Tibete-Arunachal Pradesh. 

Os Himalaias estão entre as formações montanhosas mais jovens do planeta. De acordo com a moderna teoria das placas tectônicas, sua formação é resultado de uma colisão continental, ou então, pelo processo de orogenia (isto é, processo de formação de montanhas) entre os limites convergentes entre as placas Indo-australiana e da Eurásia. A colisão iniciou-se no Cretáceo Superior há cerca de 70 milhões de anos, quando a placa Indo-australiana se moveu rumo ao norte e colidiu com a placa da Eurásia. Há cerca de 50 milhões de anos, com a movimentação rápida da placa Indo-australiana, a junção já havia se estabelecido. Entretanto, a placa, continua a movimentar-se horizontalmente para baixo do planalto do Tibete, forçado a ascendência do planalto. As montanhas de Arakan-Yoma em Mianmar e as ilhas Andamão e Nicobar na Baía de Bengala também se formaram em decorrência dessa colisão.

A placa Indo-australiana ainda se move numa proporção de 67 mm/ano, e nos próximos dez milhões de anos avançará cerca de 1 500 km para o interior da Ásia. Cerca de 20 mm/ano da convergência da Índia com a Ásia é absorvida pelo empuxo ao longo da frente sul dos Himalaias. Isto, leva os Himalaias a elevar-se cerca de 5 mm/ano; fazendo com que eles sejam geologicamente ativos. O movimento da placa indiana em direção à placa asiática, também faz esta região ser sismicamente ativa, induzindo terremotos periodicamente. (Fonte: Wikipédia).

Para saber um pouco mais sobre os Himalaias clique aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Os continentes

Rei africano muda nome de país

BRASIL: A organização político-administrativa