Nova Anã Marrom é descoberta

Imagem
Nova anã marrom é encontrada pela NASA através de um projeto de astronomia amadora.
A Nasa mantém vários projetos e um deles é formalmente conhecido como WISEA J110125.95 + 540.052,8. O nome é estranho, parece mais uma senha boa para redes sociais, mas trata-se de um projeto onde voluntários ajudam na descoberta de novos corpos celestes.
Rosa Castro terapeuta durante o dia e astrônoma amador, se juntou ao projeto de ciência cidadã Backyard Worlds: Planet 9, financiado pela NASA (esse do nome estranho). Em sua casa, de noite, terminou seu jantar, abriu seu laptop, e descobriu um novo objeto que não era nem planeta nem estrela.  Ela iria se tornar um dos quatro voluntários para ajudar a identificar primeira anã marrom do projeto mantido pela Nasa.
Tem cerca de duas décadas desde que os pesquisadores descobriram as primeiras anãs marrons, e que a comunidade científica abriu os olhos para esta nova classe de objetos entre estrelas e planetas.
Embora sejam tão comum como estrelas e forma …

Quem consome maior volume de água?

Consumir menos gera economia e preserva o meio ambiente

Pensar antes de comprar um novo produto e reciclar os que já possui são algumas das dicas para não gastar e cuidar da natureza


A atitude do consumidor na hora de comprar pode fazer muita diferença para o meio ambiente e para o futuro do planeta. É necessário levar em conta bem mais do que o preço, a qualidade e a marca do produto. É preciso avaliar as consequências de cada escolha para evitar o esgotamento dos recursos da natureza, que são limitados e difíceis de repor.

Água, combustíveis fósseis, madeira, tudo isso pode acabar um dia se não houver um consumo consciente. Medidas simples como escovar os dentes com a torneira fechada, reduzir a impressão de papéis ou abolir o uso do carro em pequenas distâncias contribuem para a garantia de um mundo mais equilibrado com menos desperdício.

As pequenas mudanças em nosso dia a dia incluem ainda pensar em como é feito o produto e qual o seu destino final. Por exemplo, usar sacolas de tecido em vez de sacolas plásticas, que gastam muita água e energia na sua confecção, poluem o ambiente e levam centenas de anos para se decompor. Onde comprar também é uma decisão importante. A empresa é certificada? É reconhecida por práticas socioambientais? A matéria- -prima é extraída de forma sustentável? Tem embalagens recicláveis? Usa trabalho escravo ou infantil? 

Para o Ministério do Meio Ambiente, o consumidor consciente é aquele que considera, ao escolher os produtos que compra, o meio ambiente, a saúde humana e animal e as relações justas de trabalho. [Com informações do Jornal do Senado]

Além da real necessidade de orientação e diminuição dos gastos de recursos naturais (especialmente de água) nas residências - o chamado consumo doméstico - é preciso, também, analisar o consumo industrial/comercial e o agropecuário.


Dados revelam que o consumo industrial e agropecuário é muito maior que o consumo doméstico, mas o que as "campanhas" sempre apontam é sobre o consumo individual e doméstico e por conta disso as orientações, muito simplistas, focam no "banho rápido" e na "escovação de dentes com a torneira fechada".

Leia mais>> Quanta água é gasta?

É importante ir além, e perguntar, por exemplo, quantos litros de água foram necessários para se produzir este quilo de arroz? Quantos litros de água foram necessários para se produzir este celular? Possibilitar a escolha de produtos que consomem menos água no processo produtivo seria, de fato, um bom caminho para a redução do consumo de água no planeta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corrente exagera ao comparar remunerações de professores e políticos

Nota da CNTE contra a BNCC

O desenvolvimento do Sahel