Nova Anã Marrom é descoberta

Imagem
Nova anã marrom é encontrada pela NASA através de um projeto de astronomia amadora.
A Nasa mantém vários projetos e um deles é formalmente conhecido como WISEA J110125.95 + 540.052,8. O nome é estranho, parece mais uma senha boa para redes sociais, mas trata-se de um projeto onde voluntários ajudam na descoberta de novos corpos celestes.
Rosa Castro terapeuta durante o dia e astrônoma amador, se juntou ao projeto de ciência cidadã Backyard Worlds: Planet 9, financiado pela NASA (esse do nome estranho). Em sua casa, de noite, terminou seu jantar, abriu seu laptop, e descobriu um novo objeto que não era nem planeta nem estrela.  Ela iria se tornar um dos quatro voluntários para ajudar a identificar primeira anã marrom do projeto mantido pela Nasa.
Tem cerca de duas décadas desde que os pesquisadores descobriram as primeiras anãs marrons, e que a comunidade científica abriu os olhos para esta nova classe de objetos entre estrelas e planetas.
Embora sejam tão comum como estrelas e forma …

PISO DO PROFESSOR SOFRE ATAQUE

Foto: Reprodução Agência Senado
O reajuste anual dos pisos salariais nacionais, como o do magistério público da educação básica, poderá conter mecanismo para impedir o desequilíbrio das contas públicas. O objetivo do Projeto de Lei do Senado (PLS) 409/2016, do senador Dalírio Beber (PSDB-SC), é dar ao gestor público a opção de reajustar os salários pela inflação acumulada dos últimos 12 meses ou pela taxa de crescimento das receitas tributárias próprias somadas às transferências oficiais recebidas no exercício anterior.



O texto, que tramita na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), permite que União, estados e Distrito Federal optem por reajustar os pisos salariais pelo menor desses índices. A proposta também estabelece que a opção do gestor público não poderá acarretar a redução dos valores nominais, de forma a garantir o princípio da irredutibilidade dos salários.

Na prática isso significa pôr freio na recomposição do piso nacional do magistério que pretendia equiparar o salário do professor aos de outros profissionais com o mesmo nível de formação.

Mais uma vez a desculpa para retirada de direitos e conquistas dos trabalhadores é a suposta busca pelo equilíbrio financeiro.

Desequilíbrio financeiro

Dalírio Beber (PSDB-SC) afirma que a crise econômica tem provocado desequilíbrio financeiro de estados e municípios, que tiveram drástica redução de receitas. Ele argumenta que sua proposta permitirá que os estados flexibilizem algumas de suas despesas, ajustando-as às variações nas receitas.

Na prática a proposta permitirá que os estados imputem aos professores o ônus da má gestão dos recursos públicos e os atos de corrupção da elite política e empresarial do país.

E você caro leitor, concorda com essa medida? Deixe sua opinião nos comentários deste post.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corrente exagera ao comparar remunerações de professores e políticos

Nota da CNTE contra a BNCC

O desenvolvimento do Sahel